quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

reflexões

"A conscientização nos convida a assumir uma posição utópica frente ao mundo, posição esta que converte o conscientizado em 'fator utópico'. Para mim o utópico não é o irrealizável; a utopia não é o idealismo, é a dialetização dos atos de denunciar e anunciar, o ato de denunciar a estrutura desumanizante e de anunciar a estrutura humanizante. Por esta razão a utopia é também um compromisso histórico." Paulo Freire, Conscientização: teoria e prática da libertação

Um comentário:

Cristianne de Magalhães disse...

Obrigada pelo seu comentário, professor. Gostei do seu blog e já coloquei na minha lista aqui. Quero manter contato pra trocar figurinhas, tá? rs

Um forte abraço!